Câncer de Colo de útero

O câncer do colo do útero (também chamado de câncer cervical) é causado, na maioria das vezes, pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV (chamados de tipos oncogênicos), sendo um vírus de transmissão sexual. A infecção genital por esse vírus é muito frequente e nem sempre causa doença, mas em alguns casos, ocorrem alterações celulares que, se não tratadas, podem evoluir para o câncer, que nem sempre apresenta sintomas até já ter se desenvolvido ou disseminado para outros lugares do corpo e geralmente são descobertas no exame preventivo (papanicolau) e tem alto índice de cura na maioria dos casos quando descoberto precocemente através do preventivo. Geralmente o tratamento inclui cirurgia, radiação e quimioterapia dependendo do caso.

Quais são os sintomas?

Nos estágios iniciais não se percebem sintomas, aí que está o grande problema. Conforme a doença avança, pode acontecer sangramento ou saída de secreção fétida via vaginal, dor abdominal ou pélvica, dificuldade para urinar, saída de fezes ou urina pela vagina, entre outros sintomas.

Como Diagnosticar?

Como citado acima, as lesões em estágios iniciais não causam sintomas. Por isso, é fundamental a consulta médica com um ginecologista anualmente. Durante a consulta, a realização do exame físico e do exame de Papanicolau (também conhecido como “exame preventivo” ou apenas “preventivo”) ajudam no diagnóstico. Dependendo dos achados nesses 2 exames, outros exames ou procedimentos podem ser solicitados.

Existe Tratamento?

O tratamento do câncer de colo de útero vai depender do estágio em que a doença se encontra. Lesões pré-malignas (que ainda não são câncer, mas que tem risco de evoluírem para doença maligna) podem ser acompanhadas ou tratadas com procedimentos de porte menor. O tratamento do câncer de colo de útero é mais complexo, podendo envolver cirurgias maiores, radioterapia, quimioterapia, etc.

Como Prevenir?

Geralmente é possível diagnosticar precocemente as lesões através do exame preventivo que falamos acima. A princípio, a avaliação deve ser anual, principalmente dos 25 aos 59 anos, conforme orientação do Ministério da Saúde. Porém, pode ser necessário consultas mais frequentes ou mais espaçadas, dependendo da avaliação médica.

Além disso, recentemente foi incorporada no calendário vacinal do Ministério da Saúde a vacina contra o HPV. Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos podem tomar a vacina gratuitamente no SUS. Nas clínicas particulares, a vacina quadrivalente é aprovada para mulheres entre 9 a 45 anos e homens entre 9 e 26 anos.

Caso tenha ficado alguma dúvida deixe aqui nos comentários! E em caso de suspeita de alguns desses sintomas marque uma consulta com o seu médico para analisar seu caso, e conte com a nossa equipe de médicos para lhe ajudar!

Se quiser agendar uma consulta entre em contato através (41) 3408.3353 /(41) 99184.3353.

Cirurgia Oncológica

CRM-PR 27751/ RQE 25604

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.