Dermatite de contato: Conheça as substâncias mais envolvidas nesta inflamação.

Sabe aquela alergia que surge de repente e você não sabe identificar necessariamente o que ocasionou? A esta reação inflamatória, chamamos dermatite de contato, que surge na pele através da exposição ao agente causador da irritação.

Existem 2 tipos de dermatite de contato:

  • Irritativa: Causada por substâncias ácidas ou alcalinas, como sabonetes, detergentes, solventes ou outras substâncias químicas. Pode aparecer na primeira vez em que entramos em contato com o agente causador, o que ocorre com um grande número de pessoas. As lesões da pele geralmente são restritas ao local do contato.
  • Alérgica: Surge após repetidas exposições a um produto ou substância. Depende de ações do sistema de defesa do organismo, e por esse motivo pode demorar de meses a anos para ocorrer, após o contato inicial. Essa forma de dermatite de contato aparece, em geral, pelo contato com produtos de uso diário e frequente, como perfumes, cremes hidratantes, esmaltes de unha e medicamentos de uso tópico, entre outros. As lesões da pele podem aparecer no local do contato ou à distância.

Algumas das substâncias que podem causar alergia:

  • Plantas;
  • Metais: níquel ou outros componentes presentes em bijouterias, relógios e adornos de roupas ou calçados;
  • Medicamentos tópicos: antibióticos, anestésicos e antifúngicos;
  • Cosméticos: perfumes, xampus, condicionadores, cremes hidratantes e esmaltes de unhas;
  • Roupas e tecidos sintéticos;
  • Detergentes e solventes;
  • Adesivos;
  • Cimento, óleos, graxas e tinta de parede.

Sintomas

Os sintomas variam conforme a causa, podendo ocorrer de forma repentina ou semanas até meses após a exposição a substância causadora da alergia, o que dificulta nestes casos a associação para diagnóstico.

Quando a dermatite é alérgica, é comum o surgimento de erupções vermelhas no local de contato com a substância, que em geral podem surgir de 24 a 48 horas após o contato.

No local da lesão podemos notar:

  • Inchaço;
  • Pequenas bolhas;
  • Aumento da temperatura;
  • Crostas espessas.

Já na dermatite irritante, os sintomas em geral costumam ser mais discretos, gerando pouca coceira e sensação de dor e queimação, o que torna a pele seca, vermelha e áspera, sendo que fissuras podem se formar no local. As mãos são um local típico deste tipo de dermatite.

Tratamentos e Prevenção

No caso de lesões pontuais e com características de dermatite de contato por irritantes, não há necessidade de investigação do quadro. O afastamento do fator causal e o tratamento com medicações tópicas já se mostra eficiente para melhora das lesões.
Já quando o quadro é suspeito de dermatite de contato alérgica, o diagnóstico pode ser feito através do teste alérgico de contato – são selecionadas 30 a 40 das principais substâncias que podem ser envolvidas em processos alérgicos e testadas na pele das costas do paciente. No caso de aparecimento de inflamações e reações locais, é possível fazer a relação de causa-efeito e orientar o paciente a não se expor àquela substância.

O tratamento depende da extensão e gravidade do estado do paciente, podendo ser adotadas diversas formas de tratamento relacionadas. Em alguns casos somente será necessário tratamento local, em outros via oral ou até mesmo injetável.

Uma das primeiras medidas que tomamos é higienizar com água a área para remover qualquer vestígio da substância causadora da alergia. Como tratamento também podemos associar:

  • Compressas úmidas, secativas ou antissépticas;
  • O uso de cremes e pomadas corticosteróides são indicados para reduzir a inflamação da pele e em alguns casos até imunomoduladores tópicos.
  • Nos casos de muita coceira, e/ou nos mais graves, pode ser necessário o uso de antialérgicos orais ou corticosteróides orais ou injetáveis.
  • Emolientes e hidratantes ajudam a manter a pele úmida e também auxiliam em sua reparação e proteção. Eles são utilizados nas fases de resolução, quando a pele começa a descamar e secar, além de ser parte fundamental para a prevenção e o tratamento da dermatite de contato.

Para prevenir as dermatites de contato é necessário identificar o agente irritante ou alergênico, e passar a evitar o uso ou contato.

Manter o uso de produtos que sejam hipoalergênicos, lavando sempre as mãos após se expor a substâncias conhecidas irritantes é uma boa medida. Se a exposição a substância é inevitável em alguns casos como ambientes de trabalho, indico usar vestimentas adequadas, luvas, uniformes e calçados que evitem ao máximo o contato.

Você já sofreu com alguma alergia que não conseguiu identificar a causa? Me conte aqui nos comentários!

Em outros casos entre em contato conosco e agende uma consulta, através dos telefones (41) 3408.3353 ou (41) 99184.3353

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.