Entre em contato e veja o melhor horário
(41) 3408-3353 | (41) 99184-3353
BLOG

Notícias Clinica Fiore

queda em idosos

Queda em idosos

Atualmente, a queda em idosos é considerada uma questão de saúde pública devido às suas graves consequências.

No Brasil, 32% dos idosos entre 65-74 anos caem anualmente, aumentando para 51% e pessoas com 85 anos ou mais. Sofrer uma queda aumenta o risco de cair novamente em 60-70%, sendo fundamental a prevenção.

Seguem algumas dicas para prevenir quedas em idosos:

  • Atividade física

Ser fisicamente ativo, ou seja, realizar 150 minutos de atividade física aeróbica (exemplo: caminhada, bicicleta) de intensidade moderada por semana reduz o risco de quedas.

Idosos com mobilidade comprometida devem realizar exercícios de fortalecimento muscular e equilíbrio três vezes ou mais por semana. Musculação, hidroginástica, pilates, tai chi chuan são alguns exemplos nesta categoria.

Quando o idoso não pode fazer as quantidades recomendadas de atividade física devido às suas condições de saúde, ele deve permanecer o mais fisicamente ativo possível, considerando suas capacidades e limitações.

  • Saúde em dia

Algumas doenças e disfunções biológicas podem aumentar o risco de queda:

– Vertigem e labirintite;

– Arritmia cardíaca;

– Acidente vascular cerebral;

– Osteoporose;

– Baixa acuidade visual e/ou auditiva;

– Pés com joanetes, calos e alterações sensitivas;

– Hipotensão ortostática;

– Desnutrição e/ou anemia;

– Doença de Parkinson;

– Demências;

– Fraqueza muscular;

– Alterações posturais;

– Uso de algumas medicações: remédios para dormir, antidepressivos, remédios para alergias, alguns remédios para vômitos, alguns anti-hipertensivos, diuréticos.

 

  • Faça ajustes

O local mais comum de quedas é em casa, sendo 70% das vezes no quarto. Sendo assim, torna-se fundamental fazer alguns ajustes para evita-las.

– Evitar tapetes;

– Manter uma luz ligada à noite no caminho para o banheiro;

– Se tiver crianças ou animais de estimação em casa, evitar deixar brinquedos pelo chão

– Adaptar a altura da cama, cadeiras e do sofá ao idoso. Móveis muito baixos dificultam o ato de levantar;

– Dispor de um corrimão na escada;

– Se houver algum degrau ou desnível na casa, colocar uma fita antiderrapante amarela para facilitar a identificação;

– Utilizar barras de apoio no banheiro, tanto ao lado do vaso sanitário quanto no boxe. Em alguns casos, tomar banho sentado pode ser mais seguro e cômodo.

 

  • Não se exponha

Comportamentos de risco aumentam a possibilidade de quedas, como:

– Subir em banquinhos ou escadas para limpar ou alcançar objetos;

– Não utilizar o corrimão para subir e descer escadas;

– Uso de calçado inadequado, sem sola antiderrapante e solto no calcanhar;

– Não acender a luz ao se levantar à noite;

– Utilizar a pia como apoio para se levantar do vaso sanitário.

 

Estas atitudes podem provocar sérias lesões como fraturas, traumatismos cranianos e até mesmo a morte após uma queda.

 

  • Mantenha o foco

A busca pela concentração ao realizar tarefas simultâneas compromete o equilíbrio, podendo gerar quedas.

Sendo assim, não caminhe falando ao celular ou enviando mensagens e evite carregar vários objetos ao mesmo tempo enquanto caminha.

 

  • Apoio multidisciplinar

Por ter causa multifatorial, é de fundamental importância a abordagem em equipe. Seguem alguns exemplos:

Nutricionista: tem papel chave em idosos desnutridos, que necessitam de ganho de massa magra e gorda e em idosos obesos. Ademais, orienta a ingesta adequada de cálcio, vitaminas e líquidos.

Fisioterapeuta: contribuem para o treino de equilíbrio e ganho de massa muscular.

Terapeuta ocupacional: profissional especialista em orientar modificações do ambiente domiciliar para evitar quedas e promover a independência em idosos com limitações físicas e cognitivas.

Clínica Fiore

Author

view all posts

Deixe uma resposta